domingo, 23 de agosto de 2009

PARA QUE SERVE O EXAME PROTEÍNA C REATIVA





VISITE TAMBÉM O BLOG PARA QUE SERVE O EXAME PROTEÍNA C REATIVA


Proteína C reativa é uma proteína normal do corpo humano, portanto o exame que dosa a proteína C reativa não pesquisa nada estranho ao organismo.
A proteína C reativa participa da "resposta de fase aguda", que é a reação do organismo que dá início ao processo de reparação de qualquer lesão das estruturas do corpo.
O que desencadeia a resposta de fase aguda é a morte "não natural" das células, como quando um pequeno infarto no coração mata algumas células ou um grande corte no braço mata muitas células.
Há uma morte de células que é considerada "natural" - é chamada de apoptose. A morte de células por esse processo não desencadeia a resposta de fase aguda.
Então, a ativação da resposta de fase aguda indica alguma morte celular não natural logo significa a presença de alguma lesão em alguma parte do corpo.
Do ponto de vista do diagnóstico, seria ideal haver uma substância que, podendo ser dosada no sangue, indicasse que a resposta de fase aguda foi ativada por alguma lesão ou doença em qualquer parte do corpo.

A resposta de fase aguda é uma reação biológica complexa da qual participam diversas células e muitas substâncias químicas. Várias dessas substâncias foram pesquisadas para tentar responder à pergunta: Qual a substância que, através de um exame de sangue, pode indicar a ocorrência de qualquer lesão de células no organismo?
A substância que mostra melhor desempenho na resposta a essa pergunta é a proteína C reativa, mas é preciso estar atento e entender que a ocorrência de lesões de células não indica que uma doença foi responsável por isso. É possível ter elevações de proteína C reativa sem estar doente.
Inicialmente, a proteína C reativa foi pesquisada através de métodos grosseiros, cujos resultados eram negativo ou positivo, e os resultados positivos eram dados em cruzes (+, ++, +++ ou ++++). Tais métodos são considerados obsoletos atualmente e não deveriam mais ser utilizados.
A metodologia evoluiu para a determinação quantitativa da proteína C reativa, ou seja, para exames que medem a quantidade exata da proteína no sangue.
Os exames quantitativos mostram que sempre há proteína C reativa no sangue, portanto um exame pelo método antigo pode ser negativo, mas pelo método moderno sempre terá um valor de proteína C reativa, ou seja, o resultado negativo de um exame não significa resultado igual a zero no outro.
Não é incomum pessoas ficarem angustiadas com essa discrepância entre resultados de exames feitos por métodos diferentes. A mudança de método impede a comparação dos resultados, pois os exames são diferentes, embora tenham o mesmo nome. O pensamento mitológico faz pensar que, por terem o mesmo nome, os exames deveriam ter o mesmo resultado. Mas isso não é verdade.
Os exames quantitativos também mostram que a proteína C reativa aumenta rapidamente na presença de infecção, inflamação e traumatismos com destruição de células e volta ao normal rapidamente após o processo ter sido resolvido. Mas nem sempre o aumento ocorre.
Há exemplos, como o caso do lupus eritematoso sistêmico, em que a presença de notória reação inflamatória e lesão celular em múltiplos locais do corpo é acompanhada de níveis normais de proteína C reativa, o que serve para mostrar que a teoria que explica o significado de um exame não é a verdade absoluta na interpretação do resultado.
Ainda não se sabe porque o organismo falha em aumentar os níveis de proteína C reativa em algumas situações clínicas, mesmo na presença da resposta de fase aguda. Mas, sabendo que isso ocorre, podemos concluir que um resultado normal de proteína C reativa não exclui a ocorrência da resposta de fase aguda nem a presença de lesões celulares em algum local.
Da mesma forma é possível observar aumentos da proteína C reativa na ausência de manifestações que mostrem onde ocorreu a lesão que desencadeou a resposta de fase aguda. Reparando seus órgãos diariamente, o organismo muitas vezes desencadeia a resposta de fase aguda sem que haja alguma doença por trás disso.
Portanto, proteína C reativa aumentada nem sempre significa doença, por isso o conhecimento teórico sobre o comportamento da proteína C reativa em determinadas situações clínicas não deve ser utilizado para dizer que proteína C reativa aumentada significa que as situações clínicas que causam o aumento da proteína estejam presentes na ausência dos sintomas e dos achados de exame físico que as caracterizam.
Por exemplo:
1. Sabemos que artrite é a inflamação de uma articulação.
2. Ao exame físico, a articulação com artrite apresenta dor, inchaço, calor, vermelhidão e dificuldade de movimento.
3. Em pessoas com dor, inchaço, calor, vermelhidão e dificuldade de movimento em uma articulação a proteína C reativa está aumentada.

Esses fatos são científicos e estão perfeitamente relacionados. Nesse exemplo, o aumento da proteína C reativa está de acordo com as manifestações da doença que a pessoa apresenta, portanto o resultado é útil.
As manifestações da doença no exemplo citado mostram que há inflamação, portanto é esperado que a proteína C reativa aumente. Entretanto, isso não significa que proteína C reativa aumentada signifique inflamação ou artrite.
A interpretação do exame é essencial porque muitas pessoas apresentam episódios de elevação de proteína C reativa que podem ser causados por infecções inaparentes, traumatismos menores ou inflamações em locais que nada tenham a ver com a queixa apresentada pelo doente.
Um exemplo dessa situação é a elevação que se segue à inflamação das placas de aterosclerose nas artérias, um evento comum na população, que geralmente não causa sintomas. Se alguém nessa situação estiver apresentando também dor nas articulações por outro motivo, a elevação da proteína C reativa pode ser entendida erradamente como devida ao processo que está causando a dor nas articulações, mas se o exame das articulações for normal, sabemos que a elevação deve ter outra origem.

Mas, para os praticantes da medicina baseada em reumatismo nada disso importa. Para essa gente, proteína C reativa aumentada sempre significa "reumatismo".
O processo que usam para convencer o doente é o seguinte:
1. Uma pessoa se queixa de dor em alguma articulação.
2. A articulação não é examinada ou, se for, não tem inchaço, calor, vermelhidão ou dificuldade de movimento.
3. A proteína C reativa aparece aumentada em um exame que não se sabe porque foi solicitado.
4. Ao ver o resultado do exame, o profissional circula o resultado aumentado, realça a marca com uma flecha apontando para cima e faz a pessoa acreditar que a causa do problema foi identificada.
5. Finalmente, o profissional engana a pessoa dizendo que ela "tem reumatismo" ou tem "reumatismo no sangue" porque sente dor em uma articulação e a proteína C reativa está aumentada.

Proteína C reativa não é causa de doença, é uma proteína normal do corpo.
A elevação da proteína C reativa é parte da resposta de fase aguda, mas diante de um resultado aumentado, concluir que alguma doença está causando o aumento da proteína é consequência da interpretação do quadro clínico do doente e não da aceitação incondicional do resultado do exame.
Para quem tem dor nas articulações, a elevação de proteína C reativa só tem importância quando é acompanhada de alterações nas articulações ou em outro local que justifiquem a alteração do resultado do exame.
Para o reumatologista, a utilidade da proteína C reativa não é diagnosticar artrite. O diagnóstico de artrite é feito pelo exame físico.
Para o reumatologista, a utilidade da proteína C reativa é auxiliar no diagnóstico das doenças inflamatórias e na avaliação da resposta ao tratamento.
Em nenhuma hipótese proteína C reativa aumentada significa "reumatismo".
"Reumatismo" não é um diagnóstico médico, é apenas um mito popular.


A humanidade sempre procurou maneiras artificiais de descobrir a doença e os exames de laboratório servem para isso.
Os maiores sucessos obtidos com a realização de exames laboratoriais para auxílio diagnóstico ocorreram no campo das doenças infecciosas.
Para o diagnóstico de doenças infecciosas, a pesquisa direta do agente causador permite o diagnóstico imediato da doença que ele causa, como acontece na tuberculose, por exemplo.
Mas para diagnosticar tuberculose não é preciso encontrar o agente causador em um exame de laboratório. Para tratar o doente, o diagnóstico baseado nos sintomas e nos achados do exame físico é suficiente.
A maneira mais simples de descobrir uma doença é consultar um médico, contar o que sente e ser examinado por ele. Na maior parte das vezes, após o término do exame, o médico será capaz de dizer qual é a doença e o que deve ser feito a seguir.
A maneira artificial de descobrir uma doença é substituir o trabalho do médico pela realização de um exame de sangue e querer que o resultado do exame diga qual é a doença.
O ideal da medicina mercantilista é eliminar o trabalho do médico e fazer tudo através de exames laboratoriais, de preferência sem que haja contato algum com o doente.
Mas para a verdadeira Medicina, exames de laboratório e de imagem são complementares à consulta e ao exame do doente. Podem ou não ser solicitados e os resultados sempre devem ser interpretados de acordo com o que a pessoa sente e apresenta ao exame físico.
Os grandes médicos do século XVIII e XIX desenvolveram a lógica do raciocínio médico perante a doença e o doente, reconhecendo que a maneira como o doente fala da doença é imprecisa e influenciada pelas emoções, e a maneira como a doença se manifesta no doente é variável de pessoa para pessoa, como também é variável a capacidade dos médicos de encontrar achados importantes ao exame físico.
Nesse cenário confuso, o exame de laboratório é um procedimento que não está sujeito a variações emocionais, por isso o resultado do exame deveria ser mais confiável do que o relato do doente e a habilidade de examinar do médico. Mas não é.
O resultado de um exame de laboratório é influenciado por diversas variáveis e a interpretação depende do conhecimento teórico sobre a doença.

Por isso, o princípio lógico e técnico que rege a interpretação de um exame de laboratório é:
1. Se o resultado do exame não estiver de acordo com os dados da história e do exame físico do doente, o exame deve ser refeito.
2. Se o resultado do novo exame for diferente do anterior e estiver de acordo com os dados da história e do exame físico do doente, esse será o resultado correto.
3. Se o resultado do novo exame ainda não estiver de acordo com a história e o exame físico do doente, a história e o exame físico devem ser refeitos levando em consideração a contradição sugerida pelo exame de laboratório.
4. Se a nova história e o exame físico do doente ainda não estiverem de acordo com o resultado do exame de laboratório, o exame de laboratório deve ser descartado como inútil.

Quando se trata de diagnosticar doenças, o que a humanidade quer é algo simples e até certo ponto mágico, que é representado pelo mito moderno do exame de laboratório:
Alguém fornece uma amostra de sangue, um laboratório examina a amostra e fornece o resultado por escrito, declarando o que a pessoa tem.
Embora no diagnóstico de muitas doenças infecciosas esse processo seja efetivo, no diagnóstico das doenças que causam dor musculo-esquelética não é. Não existe nenhum exame de laboratório cujo resultado, por mais alterado que seja, diagnostique isoladamente qualquer doença.
Isso acontece porque entre o momento da obtenção da amostra para exame e a entrega do resultado por escrito ocorrem diversas manipulações da amostra, sob condições variadas, que podem modificar o valor do resultado. Além disso, o significado do resultado também varia de acordo com as manifestações que o doente apresenta.
Esse cenário de incertezas e variabilidade excessiva não agrada ninguém, por isso a população deseja ardentemente algo semelhante ao que o filósofo da ciência Gaston Bachelard chamou de "a ciência da varinha mágica", expressão que ele aplicava ao desejo popular de solucionar problemas através de movimentos das mãos e palavras mágicas que produzissem resultados imediatos.
Mas a ciência sempre foi e sempre será trabalhosa.
O diagnóstico médico às vezes é penoso, demorado e complicado, pois os exames de laboratório nunca dizem qual é a doença nem se há alguma doença por trás. Quem diz se há alguma doença é o médico, depois de interpretar o resultado dos exames de acordo com as manifestações clínicas do doente.
Por conta dessas dificuldades inerentes ao trabalho científico do médico é mais fácil para a população acreditar que o que está escrito no papel com o resultado do exame é o nome da doença.
Nesse país, onde o mito moderno do exame de laboratório e o mito antigo do "reumatismo" são manipulados por profissionais de índole duvidosa com o objetivo de enganar a população, a crença nos mitos leva as pessoas a acreditar facilmente nas encenações montadas por oportunistas e charlatães.


VISITE TAMBÉM O BLOG PARA QUE SERVE O EXAME PROTEÍNA C REATIVA




112 comentários:

Angela Gel disse...

Dei rapidamente uma lida nas suas respostas..Não farei agora qq "consulta",mas, me vi quase "obrigada" a elogiar sua forma simples, e ao mesmo tempo detalhada, responsavel, ética e humana em responder a cada um! Parabens!!!!!!!!!! Achei que vc fosse um medico antigo..(pra não dizer velho..rs)mas, para meu espanto..trata-se de um jovem!Que bom que ainda existem medicos como vc..Esta de parabens!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Angela:

Agradeço pelas palavras amáveis.
Obrigado.

Gilda Sandes disse...

Dr. Luiz Claudio,
Fiquei muito feliz ao ler o seu artigo. Dificilemente encontrei um médico que tivesse tanta seriedade em tratar com seus pacientes. E olhe que já fui a muitos...
Também acredito que é necessário um maior contato entre médicos e pacientes e não esta consulta informal, sem toques, sem um olhar mais humano sobre o paciente. Já estive em Clínicos médicos que não sairam detrás de suas mesas nem mesmo para aferir minha pressão arterial: Perguntaram apenas as minhas queixas e passaram os "exames" como se estes, sem que ele me examinasse primeiro, podessem revelar todas as razões de minhas queixas ou sintomas.
Confesso-lhe que é frustante ao paciente, que enxerga no médico um elo para a manutenção da sua saúde física e até mental.
Gostaria de parabenizá-lo por este artigo e por sua postura ética e humana.
Hoje pela manhã recebi os meus resultados dos exames clínicos e não sei o porquê o clínico geral pediu o exame da Proteína "C" Reativa. E para minha surpresa, ela estava aumentada:
Material: soro/ Método: Imunoturbimetria/ Resultado: 11,76 mg/L e o valor de referência apresentado pelo laboratório foi < 8,0 mg/L. Fiquei assustada porque fiquei sabendo que o aumento desta proteína pode estar associada à infecções graves e até infartos do miocárdio. O meu clínico me indiocou um reumatologista. Mas ao ler o seu artigo, imagino qual será o veredicto deste, porque meu clínico me disse que talvés eu sofra de reumatismo. Mas não tenho inchaços e não sofro dores terrivés na articulação, tenho dores quando me esforço demais ou trabalho demais, mas acho que isso é comum.
Gostaria de poder ouvir a sua opinião.
Um grande abraço e parabéns pelo seu blog!
Gilda Sandes

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Gilda:
Agradeço pelas palavras amáveis e pelo incentivo.
O aumento persistente da proteína C reativa é atualmente considerado um fator de risco para doenças coronarianas, como angina e infarto. Nesse caso, pequenas elevações são importantes.
Infecções e doenças inflamatórias, por outro lado, tendem a causar grandes elevações da proteína.
Entretanto, a interpretação do resultado do exame depende do quadro clínico.
Se uma pessoa assintomática apresentar uma grande elevação de proteína C reativa, sem sintomas de infecção ou de doenças inflamatórias, o exame provavelmente está errado e deve apenas ser repetido para confirmação. Se persistir elevado, deve-se refazer a avaliação clínica dirigindo a história e o exame físico para a pesquisa de infecções ou doenças inflamatórias. Se nada for encontrado novamente, o exame deve ser desconsiderado (o médico não trata o resultado do exame, ele deve tratar a pessoa doente).
Pequenas elevações de proteína C reativa, como as que o seu exame mostra, devem ser analisadas em conjunto com outros fatores de risco para doenças do coração: se os fatores de risco estão presentes, o aumento da proteína C deve ser considerado como um sinal de alerta.
Se não houver nenhum outro fator de risco, o exame deve ser desconsiderado.
Ao contrário do que o clínico falou, elevação de proteína C reativa não é indicação de que alguém tenha "reumatismo" e o recurso a essa explicação é apenas uma declaração de falta de conhecimento do assunto.
Você pode consultar um reumatologista para saber se, no seu caso, o resultado do exame tem alguma importância clínica, lembrando sempre que, muitas vezes, não tem, principalmente quando não é acompanhado de sintomas que sugiram alguma doença.
Boa sorte.

elisa. disse...

Dr. Luiz Claudio,

parabéns pela iniciativa de disponibilizar um site com tanto conteúdo crítico e detalhado como este. Nas minhas breves pesquisas sobre os assuntos deste blog, não encontrei em nenhuma outra fonte informações tão concisas como aqui.
Tenho 24 anos e estou com o resultado de alguns exames solicitados por um clínico geral e de todos eles, os únicos que se mostraram alterados foram o PCR e VHS. Os demais exames solicitados incluem hemograma, FAN, FR e anti-DNA dupla hécice, os quais apresentaram resultados normais. O motivo da solicitação desses exames: há mais ou menos 1 mês comecei a sentir dores leves em algumas articulações, mas nada que limitasse minhas atividades, porém há 2 semanas essas dores começaram a incomodar, ainda sem limitar meus movimentos. Posterguei minha visita a um médico com a esperança de que as dores sumissem sozinhas, porém há 4 dias pioraram muito e percebi inchaço nas mãos, nos pés e joelhos. Devido ao aumento rápido da dor e do inchaço, procurei o clínico geral da empresa em que trabalho, mais com esperança de alívio pra dor do que de um diagnóstico. Ele me receitou um anti-inflamatório e alguns exames para confirmar as suspeitas de artrite reumatóide, e disse que me encaminharia a um reumatologista, que trataria melhor do meu caso. Ainda não me consultei com nenhum, pois busco ir por indicação e as pessoas que me indicaram reumatologistas acrescentaram que "o dr. fulano tem a agenda sempre cheia e vai demorar alguns meses pra você conseguir consulta". Porém eu estou assustada com a evolução dos sintomas, pois estou com muita dificuldade de me locomover, já evito me deslocar na empresa para não ter que enfrentar as escadas e longos corredores. Quando em pé fico com uma postura meio curvada, não consigo "endireitar" a postura e não consigo dobrar direito o joelho pra caminhar. Não consigo segurar coisas pesadas (até um copo cheio de água) pois todos os dedos estão muito inchados, me impossibilitando abrir e fechar as mãos direito. Já estou tomando o anti-inflamatório receitado há 2 dias, tive alguma melhora na dor mas a limitação dos movimentos continua a piorar. Diante desse quadro, e da impossibilidade que eu prevejo de conseguir uma consulta com um reumatologista em breve, gostaria de saber se a minha preocupação tem fundamento e se posso esperar por essa consulta para ter um diagnóstico e um tratamento adequados.

Desde já, meus sinceros agradecimentos.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Elisa:

Irei responder ao seu comentário através do artigo ARTRITE REUMATÓIDE INICIAL - UMA URGÊNCIA MÉDICA, que aparecerá na página inicial do blog.

Eliene disse...

Dr Luis Claudio, procurei muito algo que me esclarecesse sobre o assunto PCR positivo e não encontrei nada a não ser aqui no seu blog fiquei muito agradecida pois o senhor falou com muita clareza sobre o assunto. Olhe só minha filha sofre de dores nos joelhos há algum tempo, fui ao ortopedista e ele pediu alguns exames e o de sangue constatou PCR positivo ++ ele disse que ela estava com um tipo de reumatismo e receitou bezetacil (3)ela tomou e as dores não passaram, porém eu não vejo nem um sinal de inchaço nos seus joelhos ela não tem febre, não tem dificuldades de se locomover, alguns dias ela sentiu dores nos braços e há pouco ela sente dores no osso do bumbum o senhor acha que é mesmo um reumatismo?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Eliene:
"Reumatismo" não é porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
"Um reumatismo" ou "um tipo de reumatismo" também não é porque, como "reumatismo" é um mito, não existem tipos de reumatismo. Qualquer referência a "reumatismo" para explicar uma doença significa apenas que o profissional não sabe explicar a doença ou, pior ainda, não sabe qual doença é.
Proteína C reativa aumentada não significa que a doença seja "reumatismo" ou "um tipo de reumatismo".
Sugiro que leve sua filha para consultar um reumatologista, mas por causa das dores nos joelhos, não para saber se é "um reumatismo".

luizhdl disse...

Olá Dr. gostaria de saber para q serve os exames anca , anti ssa ,anti ssb, eletro proteinas, hla 327 .... grato: Luiz

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Luizhdl:
Esses exames serão explicados em artigos futuros pois cada um precisa de explicações detalhadas, como as apresentadas nos outros artigos a respeito de exames de laboratório, como a proteína C reativa, VHS, FAN, ASLO e fator reumatóide.
Se você precisa de orientação agora sobre os exames, sugiro que consulte um reumatologista.

Maria Regina disse...

Prezado Dr. Luiz Claudio: quero agradecer-lhe pelas informações postadas no seu Blog. Encontrá-lo foi um evento feliz para mim. Esclareceu-me sobre a Proteina C Reativa em um nível em que dois especialistas consultados não me esclareceram. Vou enviar-lhe um email. Obrigada novamente por suas contribuições gratuitas para o conhecimento sobre a saúde. Maria Regina Maluf

Flora disse...

DR.LUIZ CLAÚDIO....MEU CARDIO..SOLICITOU O EXAME DE PROTEINA C REATIVA...O RESULTADO FOI O DOBRO...MAS LENDO A SUA MATERIA..FIQUEI PREOCUPADA..MAS..AO LER A SUA MATERIA...ENTENDI...ESTOU COM PROBLEMAS NO JOELHO, FIZ UMA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA O RESULTADO É:
PEQUENO DERRAME ARTICULAR,PEQUENO CISTO DE BAKER,DEGENERAÇÃO DE MUCINA NO CORNO POSTERIOR DO MENISCO MEDIAL, E CONDROMALACIA PATELAR GRAU III, SERÁ QUE A PROTEINA C REATIVA ALTERADA É POR ESTE MOTIVO?

DESDE JA AGRADEÇO SUA ATENÇÃO...
QUE DEUS TE PROTEJA SEMPRE...
ABRAÇOS
FLORA

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Flora:
As lesões no joelho, quando acompanhadas de derrame articular, podem explicar a elevação da proteína C reativa.

Sissi disse...

Prezado Dr.,
apenas, parabéns!
Estava apavorada por haver grande alteração no meu exame, e fui indicada a um Reumatologista. Irei a consulta, mas não mais com a sugestão, e sim com as questões.
Grata por disseminar Vossa sabedoria!

Juliana disse...

Oi Dr, minha filha tem 2 anos, a pediatra solicitou o exame PCR(Proteina C Reativa) ela fez e deu 4,160mg/L, e é considerado risco agudo. Ela nao tem nenhuma inflamação no momento. Porque esse teor açto? é muito perigoso? O q faço para diminuir? Estou muito preocupada. Desde ja agradeço

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Juliana:
"Agudo" não é um tipo de risco que possa ser avaliado através da proteína C reativa.
Somente o médico que conhece a história e o exame físico do doente pode interpretar o resultado de um exame de laboratório.
Sugiro que converse com a pediatra da sua filha sobre isso.

renatabrazil.duda disse...

Boa noite doutor, fiz um exame de prroteina c reativa e o resultado foi 0.76...E o normal que veino exame foi para avaliaçao de doenças inflamtorias e infecçiosas é:0.50 e doenças cardiovascular é 0.30. Omeu ta muito alterado? E outar sinto dor nos ossos, vhs o normal é até19 o meu deu 32..O que vc acha?

OBRIGADA..

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Renata:
Consulte um reumatologista para examiná-la. O exame físico é essencial para a interpretação dos resultados dos exames de laboratório.

Nana disse...

Dr. Luiz Claudio. Primeiramente, parabenizo-o pelo blog e pela ajuda que dá aos internautas desesperados por informações! Recentemente fiz uma bateria de exames a pedido do cardiologista, sendo que todos eles deram resultados muito bons (colesterol total 185mg/dL, HDL 65mg/dL, LDL 80mg/dL, VLDL 23mg/dL, triglicerídeos 115mg/dL). Minha pressão também é de normal para baixa. O único exame que mostrou alterações foi o PCR, com um resultado de 6,18mg/dL. Não sofri nenhum processo inflamatório agudo e nem infeccioso nos ultimos tempos. Também não tenho dores nas articulações. Busquei respostas para essa alteração mas não pude encontrar nada satisfatório. Tenho 29 anos, não sou fumante, e tenho bons hábitos alimentares. O que poderia causar este aumento da PCR? Obrigada!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Nana:

Na ausência de sintomas e se não houver nenhuma alteração ao exame físico, não dá para saber a causa da elevação da proteína C reativa.
Na ausência de sintomas e se não houver nenhuma alteração ao exame físico, a elevação da proteína C reativa não tem importância.
Na dúvida, consulte um reumatologista.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Nana:

Na ausência de sintomas e se não houver nenhuma alteração ao exame físico, não dá para saber a causa da elevação da proteína C reativa.
Na ausência de sintomas e se não houver nenhuma alteração ao exame físico, a elevação da proteína C reativa não tem importância.
Na dúvida, consulte um reumatologista.

LUCIANE LEHMKUHL disse...

dr claudio meu filho de 8 anos fez esse exame... ele está com tosse crônica e deu proteina c reativa , o exame, 7,4 mg/L ou seja ele está com processo inflamatório:?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Luciane:

O exame indica que sim, mas cabe ao médico que o atende analisar se o resultado do exame está relacionado com a tosse crônica que seu filho apresenta.

Bárbara Janaina disse...

Dr. Luiz, tenho 19 anos, e já a algum tempo tenho sentido muitas dores nas costas e na cabeça, meu ortopedista me solicitou um enxame de sangue, onde deu reagente essa tal proteína reativa, ele me encaminhou para um medico reumatologista que fica em Salvador, muito distante da minha cidade, enfim eu gostaria de saber se eu preciso mesmo ir a esse medico reumatologista ou se eu posso procurar um tratamento mais simples, aqui pela minha cidade mesmo? E isso é perigoso?

Grata...!
Bárbara

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Bárbara:

A avaliação do risco depende do diagnóstico, que só pode ser feito após o exame físico.
O resultado da proteína C reativa só serve para diagnosticar alguma doença quando analisado em conjunto com os dados obtidos pela história do doente e pelo exame físico. Portanto, se o ortopedista que a atendeu náo foi capaz de fazer o diagnóstico, você precisa consultar um reumatologista.

Auricea Regina Soares disse...

Olá doutor, pesquisando sobre PCR na internet achei seu blog. E achei muito interessante a forma como voce esclarece algumas duvidas por isso estou enviando a minha dúvida também.Fiz um hemograma completo e a minha PCR deu 16,3, e a um certo tempo venho sentindo dores terríves na região lombar, será que tem algo relacionado , quem pediu o checku´p foram o gastro e o cardiologista.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Auricea:
Em quem sente dor, a elevação da proteína C reativa sugere que a causa da dor é uma doença inflamatória. Sugere, apenas. Somente o exame físico permite concluir qual é a causa realmente.
Dor nas costas, com ou sem elevação da proteína C reativa, deve sempre ser consultada em primeiro lugar com um reumatologista.

Willian Ribeiro disse...

Olá Dr. Luiz Cláudio! Parabéns pelo Blog, precisamos de médicos como você.

Tive, como resultado do teste de Proteína C reativa, apenas a palavra "Positivo" (nem os "+" constam), e "valor de referência = negativo".

Como li no seu artigo, precisaria de um resultado quantitativo, correto? Creio que fica difícil interpretar o resultado assim...

Obrigado e forte abraço...

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Willian:

É isso mesmo, o teste qualitativo é atualmente considerado obsoleto e não tem utilidade clínica.

Fabiane Secomandi disse...

Olá Dr. Luiz Claudio,
Parabéns pelo site, entrei para pesquisar sobre o exame Proteína C. Reativa e me esclareceu bastante. Estou em "investigação" devido à uma série de sintomas e exames que ora dão normais, ora dão alterados. Fiz um tratamento com um médico que fez exatamente como voce relatou, (circular os exames, colocar uma flecha pra cima e fechar o diagnóstico), por causa disso tomei muita medicação e mais de 36 injeções de benzetacil no prazo de 2 anos, até passar com um outro médico mais esclarecido e começar tudo de novo no processo investigativo, depois de uma desintoxicação.
Não é fácil, nem para os médicos e nem para os pacientes, que as vezes como no meu caso, passam anos tentando descobrir o porque de dores e diversos outros sintomas. Mas é com médicos dedicados e realmente preocupados (muitas vezes mais de um) que devemos buscar auxílio e, ajudar no que for preciso para que haja melhora em nossa condição. Obrigada, parabéns novamente pela iniciativa.

Graziella disse...

Olá,Dr : Luiz...
Estou adorando ler suas palavras aqui,pq ate entao,n sabia nada da Proteina C reativa. N assisti nem uma auls,e pra variar o professor me passou um trabalho com esse tema,e n tenho grupo,e tenho q apresentar amanha,e so te achei hj aqui... rs!
E tenho q me da super bem,e explicar perfeitamennte,pq ngm mais ira apresentar o mesmo assunto!

Obrigadaaa,por existir e ser tao educado com os seus leitores!
beijos ;)

salete barella disse...

sinto muita dor nas juntas, nos dedos,a mos incham,cotovelos doi muito.os
joehos tbm tem veze que parece que perco as pernas.alem do enfurmigamento
e doi tudo é horrivel...por onde começar???

marluce disse...

boa tarde Dr.Luiz claudio fiz um exame de sangue porque estou com muitas dores no tornozelo e joelho,no tornozelo com inchaço,esse exame de proteina c reativa deu um resultado de 96mg/L queria saber se essa taxa esta muito alterada e que riscos me trazem nunca tive problemas em relaçao a isso e o que devo fazer.se puder me responder eu agradeço. atenciosamente marluce da fonseca

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Salete:
Dor nas juntas deve sempre ser motivo para consultar um reumatologista em primeiro lugar. O reumatologista é o especialista treinado no diagnóstico e no tratamento das doenças que causam dor nas articulações, nos ossos, nos músculos e na coluna, que aparecem sem que tenha acontecido qualquer traumatismo ou ferimento no local dolorido. Por isso, consultando um reumatologista é onde você deve começar.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Marluce:
Em quem tem dor nos joelhos e tornozelos, com inchaço no tornozelo, a proteína C reativa aumentada deve ser vista primeiramente como um exame de diagnóstico e não como um fator de risco.
O resultado do seu exame, 96mg/l está muito aumentado, sugerindo que os sintomas são causados por uma doença inflamatória. Entretanto, o diagnóstico dessa situação depende do exame físico das articulações comprometidas pois a elevação da proteína C reativa não diz onde está a inflamacão.
A localização do processo inflamatório que causa a elevação da proteína C reativa só pode ser feita pela história e pelo exame físico, por isso sugiro que consulte um reumatologista para fazer essa avaliação.

christiane disse...

Caro Dr. Luiz Claudio, agradeço pela forma simples e atenciosa em que o sr. esclarece nossas dúvidas e preocupações.Tenho 52 anos e no dia 13/10/11 comecei a apresentar febre (38,5), prostação, desânimo, dor de garganta e nas articulações, tomei analgésicos por conta própria e no final de 6 dias não obtendo melhora procurei um otorrino que no exame clínico não detectou nada mas pediu muitos exames de sangue e urina, recomendou repouso, hidratação e se necessário analgésicos. Com os exames prontos voltei ao médico que identificou a causa dos meus sintomas através do resultado do exame que detecta o vírus da mononucleose, recomendou repouso e a observãncia de outros sintomas.O médico também me recomendou procurar um reumatologista pois no exame PCR deu positivo e minhas queixas iniciais relatavam muitas dores articulares. Hoje, dia 09/11/11 me sinto muito melhor, sem febre mas as dores articulares continuam e têm me incapacitado para tarefas muito simples do dia a dia, como levar o garfo à boca, escovar os dentes e etc. Depois de ler seu artigo fiquei sem saber se as dores fazem parte dos sintomas da mononucleose ou se devo procurar um reumatologista nem que seja para repetir os exames. Desde já agradeço e peço desculpas pela prolixidade.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Christiane:

Mononucleose pode causar dores articulares e até mesmo artrite durante a infecção e por algum tempo depois que a infecção é curada. Os sintomas articulares geralmente não duram mais do que 6 semanas mas, se os sintomas são importantes, deve-se consultar um reumatologista antes disso para avaliar outras possibilidades de diagnóstico.

vera disse...

Boa tarde dr tive uma infecção no tornozelo que inicialmente aprsentava vermelhidao um pouco de inchaço e muita dor em um primeiro exame fisico oortopedista disse que eu deveria esperar o inchaço diminuir para fazer exames laboratoriais, dai como nao teve melhora apos cinco dias meu medico do trabalho pediu esses exames que apresentaram hemossedimentação 75mm e pcr 12mg/l disse que eu estava com reumatismo e me deu quinze dias de atestado. parece brincadeira em dois dias estava com um inchaço do tamanho de uma laranja na parte externa do tornozelo e oito dias internada fiz duas cirurgias e até hj ja ha quase dois meses ainda nao consigo andar sem muletas nem sei mais qual medico procurar. Obrigada

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Vera:
O que você teve não foi "reumatismo" porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Se você tinha o tornozelo inchado, dolorido e vermelho, com VHS de 75mm e proteína C reativa de 12mg/dl, provavelmente você tinha artrite no tornozelo.
Se tinha e precisou de duas cirurgias para artrite de tornozelo, provavelmente a sua doença era artrite infecciosa, que pode ser tratada com antibióticos mas muitas vezes precisa de limpeza cirúrgica.
Entretanto, essas suposições podem não ser verdadeiras pois o diagnóstico mesmo requer o exame físico e a cultura do líquido ou da membrana sinovial da articulação doente.
Sugiro que volte ao ortopedista que a operou e pergunte se era artrite infecciosa no tornozelo, se foi feita a cultura do material obtido na cirurgia e qual era o agente causador.

Karen Schuepp disse...

Olá Dr. Luiz, necessito de um esclarecimento. Fiz um exame de sangue, hemograma completo. E fiquei sem entender um dos resultados. Tenho consulta em 15 dias, porem gostaria de saber se o resultado é preocupante, ou não. _ PROTEINA C - REATIVA U.SENSIVEL.
Resultado: 0,28mg/dl
Referência consta:
-PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇAS INFLAMATORIAS / INFECCIOSAS: Inferior a 0,50mg/dl

-PARA AVALIAÇÃO DE RISCO CARDIOVASCULAR: Inferior a 0,30mg/dl

Fico no aguardo de seus comentarios.

Conceição disse...

Dr Luiz, meu pcr está em 20,05.Tenho miastenia gravis, uso 10 mg prednisona/dia; a pouco mais de 3 meses fiz a timectomia, com o timo biopsiado, hiperplásico. É normal esse resultado de pcr nestas condições?
Obrigada.

Renata Peixoto disse...

Dr. Luiz Claudio, primeiramente gostaria de parabenizá-lo por esse blog pela boa vontade em esclarecer dúvidas que as vezes tiram nosso sono por não entender bem algumas informações que nos são passadas de forma técnica e específica demais. Procurei através da internet alguma resposta a respeito de um exame que minha mãe fez e deu alterado o nível de PCR (1,07mg/dl) o médico instantaneamente disse que ela está com reumatismo sanguineo e já passou um remédio de manipulação para ela tomar.. Isso me deixou muito preocupada e por isso procurei via net e fiquei mais tranquila ao ver seu artigo (Para que serve o exame de proteína C Reativa), ainda mais pelo fato de ela ter problemas de coluna (Protrusão difusa do disco intervetebral L4 e L5 co mimpressao na face ventral do saco dural) estou realmente muito preocupada... se eu entendi bem o fato desta alteração no exame de sangue pode estar diretamente ligado a essa protrusão na coluna e pode nao ser de fato reumatismo correto? O que o sr. me aconselha?.... Mais uma vez muito obrigada pela iniciativa de esclarecer de modo tão dedicado as duvidas de muitas pessoas e assim fazer a vida de cada uma delas melhor... Grande abraço. Renata

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Karen:

O exame está normal.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Karen:
"Reumatismo" não é, com certeza, pois "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
"Reumatismo sanguíneo" não existe.
Proteína C reativa aumentada não significa "reumatismo" mas há profissionais que, ao ver o resultado aumentado, dizem "é reumatismo" - essa afirmação não tem base científica e por isso não deve ser considerada.
Para interpretar o resultado da proteína C reativa o mais importante é conhecer os sintomas do doente e os achados de exame físico que apresenta.
A protusão discal difusa de L4-5 que você descreveu não explica a elevação da proteína C reativa por isso sugiro que consulte um reumatologista para descobrir o que está acontecendo.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Renata:
Desculpe-me, mas a resposta à sua pergunta foi postada erradamente no nome de Karen.
Para não haver dúvidas, estou postando novamente em seu nome.

Renata:
"Reumatismo" não é, com certeza, pois "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
"Reumatismo sanguíneo" não existe.
Proteína C reativa aumentada não significa "reumatismo" mas há profissionais que, ao ver o resultado aumentado, dizem "é reumatismo" - essa afirmação não tem base científica e por isso não deve ser considerada.
Para interpretar o resultado da proteína C reativa o mais importante é conhecer os sintomas do doente e os achados de exame físico que apresenta.
A protusão discal difusa de L4-5 que você descreveu não explica a elevação da proteína C reativa por isso sugiro que consulte um reumatologista para descobrir o que está acontecendo.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Conceição:
Proteína C reativa de 20 nunca é normal e deve ter a causa esclarecida.
As intervenções cirúrgicas, como a timectomia, por exemplo, causam elevações da proteína C reativa mas a alteração é passageira e não persiste por mais de uma semana.
Miastenia gravis pode causar pequenas elevações de proteína C reativa mas não causa elevações persistentes e não justifica o resultado do seu exame.
Para esclarecer a elevação da proteína C reativa, a história e o exame físico são essenciais. Converse com seu neurologista sobre isso ou, se ainda persistir a dúvida, consulte um reumatologista.

Atelie Pequenos Encantos disse...

olá doutor, tenho uma filha de 2 anos, baixo peso, fiz exame de sangue que detectou leucócitos elevados 22.700p/mm³
e proteina c reativa 82,4mg/L,
o médico deu apenas um ibrupomeno, para infecção, ainda não fiquei satisfeita , com o resultado, será mais grave ou apenas uma infecção de gripe?
obrigada rúbia

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Atelie:
A gravidade depende do diagnóstico e o diagnóstico depende dos sintomas.
Leucócitos aumentados com proteína C reativa elevada não fazem nenhum diagnóstico. Para o diagnóstico, os resultados devem ser interpretados em conjunto com o quadro clínico da criança.
Sugiro que procure ouvir outra opinião.

verde e ano disse...

Dr. Luiz, hoje recebi meu exame laboratorial e no resultado deu 0,31 mg/dl indicando segunda a tabela de risco alto. E ai a minha pergunta quem solicitou foi minha genicologista pois tenho nódulos mamários, miomas e sempre sinto dores no corpo inclusive um clinico falou-me que seria uma fibrimialgia e passou realxante muscular... pergunto esse resultado compromete e pode indicar um problema físico e tem relação com a situação citada tb por mim sobre nódulos etc? Pq cita no resultado risco cardio-vascular?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Verde e ano:
Você não disse qual é o exame e não passou a tabela de referência, que pode ser diferente entre os laboratórios.
Envie os dados para o e-mail lclaudiosilva@gmail.com que verei se posso lhe orientar.

Daniel disse...

Dr. fiz um hemograma completo, lipidograma,glicose entre outros e estavam ncom valores normais a não ser a proteina c reativa que estava 12.0 mg/L V.R.: NEGATIVO - ausencia de aglutinação indica uma concentração inferior a 6.0 mg/L metodo: aglutinação em látex. esse valor está muito alto? será que tem a ver com as dores que sinto no calcanhar, pois tenho esporão?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Daniel:
Como regra, esporão de calcâneo não causa elevação da proteína C reativa. Entretanto, há doenças inflamatórias que causam dor no calcanhar, com ou sem a formação de esporão, que podem aumentar a proteína C reativa. Sugiro que consulte um reumatologista para essa avaliação.

Alexandra L disse...

Olá Dr.
Leio sempre suas publicações. Parabéns pela iniciativa!
Dr., me ajude a analisar o resultado obtido no exame PCR feito em minha filha de 2 anos. Proteina C Reativa - Quantitativo - Ultra sensível: 0,13 mg/dL.
agradeço!

fabinha disse...

Ola Dr.
Fiz uma cirurgia há dois meses,tenho 29 anos pois fraturei a tibia e fibula, foi colocada uma placa com oito pinos na tibia.a cirugia esta otima só q estou preocupada pois sai muita secreção,tipo pus, sangue.fis uns exames que o ortopedistaa pediu VHS 75 mm e PCR 0,6 não reagente.O q esta acontecendo.gostaria q mim explicasse.


Fábia silva

Claudia Daniela disse...

Olá
Sou gestante, estou de 20 semanas, e comecei a sentir muitas dores nas articulações, dores na sola dos pés, dores nos pulsos, não consigo parar sentada porque doi minhas costas, não consigo subir escadas porque dói os meus joelhos. Minha médica falou que pudesse ser em relação ao aumento de peso, mas como engordei somente 4 kg até agora, não consigo acreditar que possa ser isto, até porque não me sinto pesada mas com dores em toda parte do meu corpo, pensei que eu pudesse estar sofrendo de uma descalcificação em função do bebe estar sugando alguma vitamina do meu organismo. A minha médica pediu um exame de Proteina C Reativa e o valor ficou em 8,19 MG/L sendo que o valor de referência é de 5 MG/L. Tem um aumento mas não me parece ser muito grande pelo que li em seus artigos. Posso estar sofrendo de reumatismo? Isto pode causar algum problema no meu bebê? Preciso fazer algum tipo de repouso ou alimentação diferenciada. Desde já agradeço.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Alexandra:
A análise de um exame de laboratório pode ser feita de duas maneiras:
A primeira é ler os valores de referência que aparecem ao lado do resultado obtido para verificar se o valor está dentro ou fora da faixa de referência. Essa maneira tem pouca utilidade clínica pois nada diz sobre a pessoa que fez o exame.
A segunda maneira é analisar o resultado obtido de acordo com o quadro clínico de quem fez o exame - essa análise clínica do resultado permite dizer se exames dentro ou fora da faixa de referência devem ou não ser valorizados.
Sugiro que converse com o médico que solicitou o exame sobre isso.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Fabinha:
Provavelmente é uma complicação da operação que foi feita e você deve discutir o assunto com o cirurgião responsável.
O que você não pode aceitar é que, porque o VHS deu 75mm, digam que "é reumatismo". Não é.
VHS aumentado não significa "reumatismo" pois "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Claudia:
"Reumatismo" você não tem porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Sugiro que consulte um reumatologista para avaliar as dores que sente.
A gravidez causa dores articulares, principalmente nas costas, mas não aumenta a proteína C reativa. A elevação pode indicar algum processo inflamatório como responsável pelas dores, por isso é preciso fazer a avaliação com um reumatologista.

Unknown disse...

Nossa tô aliviada após ler este artigo pois estou com uma elevação no meu exame de sangue e já estava enlouquecida ,pois achava que só quem estava com cancer em alguma parte do corpo poderia ter a proteína c reativa alterada.Muito obrigado

graça fonseca disse...

Gracias por seu artigo, simples e elucidativo... Parabéns e que Deus te conceda vida longa e feliz!

Lucas disse...

Dr. Luiz
Fiz uma bateria de exames cardiologicos afim de fazer um checkup, todos os exames foram satisfatorios: hemograma, colesterol, triglicerides, ecocardiograma, teste ergometrico, mapa, porém o PCR uLTRA SENSIVEL me assustou pois deu 22,7 mg/L,método Nefelometria, estou muito assustado pois está muito elevado em relação a referência. Será que pode resultar em algum problema cardíaco?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Lucas:
Para o diagnóstico de doenças inflamatórias musculo-esqueléticas, a interpretação do resultado da proteína C reativa depende dos sintomas e dos achados do exame físico. Para isso, consulte um reumatologista.
Para a avaliação do risco cardio-vascular a partir do resultado da proteína C reativa, consulte um cardiologista.

JulianaV disse...

Oi Dr. Luiz,

Então, minha proteina C reativa está em 0,89, classificada como alto risco cardiovascular, tenho muitas dores nas costas e leve reumatismo, devo procurar um cardiologista? Tenho 33 anos.
Obrigada. Juliana

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

JulianaV:
Não sei o que você quer dizer com "leve reumatismo" - isso não existe. "Reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Dor nas costas e proteína C reativa de 0,89 não significam "reumatismo" portanto "leve reumatismo" não é o que você tem. Sugiro que consulte um reumatologista para avaliar a dor nas costas.
O risco cardiovascular associado com a proteína C reativa deve ser avaliado por um cardiologista.

By Glaucia Buy disse...

Dr. Luiz Claudio
Parabéns pois sua síntese sobre o assunto esclarece muitas dúvidas e como já citado, quem se depara com o exame positivo do PCR e procura explicação via internet não tem muito sucesso nas informações adquiridas, o que não foi o caso ao acessar sua pág., pois o assunto é muito bem esclarecido. Porém gostaria de tirar uma dúvida por ser um problema restrito a mim: Peguei meu exame de sangue ontem com resultados normais de ASLO ANTIESTREPTOLOSINA, FATOR REUMATOIDE LATEX, WAALER - ROSE,E FATOR ANTI NUCLEO -FAN PESQUISA DE ANTICORPOS porém o PCR>PROTEINA C REATIVA DEU RESULTADO POSITIVO ++ - infelizmente o laboratório fornece o resultado em forma de +. Enfim, eu sofri um acidente a 20 anos atras e hoje com 20 anos, sofro de um artrosamento no quadril como sequela. Conforme suas instuções creio que o resultado se da por esse quadro clínico. Minha dúvida é: Vou conviver com isso a vida toda(No caso PCR elevada devido a artrose), ou tenho como sanar o problema de aumento da PCR com tratamento? E ainda: Existem medicamentos naturais e ou alimentos que auxiliam no tratamento da PCR elevada? Quais?

Andressa disse...

Boa tarde Dr.
Tire uma dúvida por favor. Estou em processo pré operatório para a Cirurgia Bariátrica, fiz essa semana os exames de sangue q são muitos. E no exame Proteína C reativa (ultra-sensível) Deu 16.52 mg/L. Achei elevado demais. Sobre peso também altera essa Proteína??? Fora isso os exames deram todos normais.

Obrigada pela atenção!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Glaucia:
Artrose não causa aumento persistente da proteína C reativa portanto a alteração no exame não será persistente e, se for, deve ter outra causa.
O aumento da proteína C reativa é reflexo de uma alteração no organismo, não é a causa da alteração e não precisa ser tratado.
Não há tratamento para baixar a proteína C reativa aumentada. O que deve ser tratado é o que causa o aumento.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Andressa:
Obesidade causa pequenas elevações da proteína C reativa mas elevações como a que você apresenta sugerem mais uma doença inflamatória ou uma doença infecciosa. Essas doenças causam sintomas e o diagnóstico é feito pelos sintomas, não pela proteína C reativa aumentada.
Sugiro que pergunte ao seu médico qual a explicação mais provável no seu caso mas não aceite "é reumatismo" como explicação.
"Reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Proteína C reativa aumentada não significa "reumatismo".
Para explicar um resultado de exame cuja causa é desconhecida, o profissional honesto deve dizer apenas "não sei qual é a causa" em vez de inventar que "é reumatismo".
"Reumatismo" não é um diagnóstico, portanto não é uma explicação válida para alterações em exames de laboratório, exceto para os oportunistas que exploram a ignorância e a crença popular em "reumatismo".

Gilciany disse...

ola boa noite,meu marido fez uns exames de sangue depois de ter passado mal esses dias,ele comeu uma maionese estragada e depois disso começou a vomitar e a ter fortes diarreias e a barriga ficou inchada,o exame de proteina c reativa deu alterado deu 24mg/l sendo q o valor de referencia e 6 mg/l...gostaria de saber da gravidade disso,,,obrigada Gilciany

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Gilciany:
A gravidade dessa situação não é mostrada pela proteína C reativa de 24mg/l mas pelo estado clínico do paciente. O estado clínico é avaliado através da frequência cardíaca, da pressão arterial, do estado do abdome à palpação e pelo estado de hidratação do paciente.
Sugiro que consulte um gastroenterologista.

Paulo disse...

Dr. Luiz Claudio da Silva, muito obrigado pela sua capacidade de informação tão acessivel a todos e quero deixar aqui o meu testemunho:
Comecei a ter dores no cotovelo e começou a inchar e a doer bastante, fui à urgência onde o medico diagnosticou Bursite, pediu analise ao sangue onde o valor da PCR foi de 14,58 mg/dl.Fui medicado com antibiotico, suspensão do braço ao peito e anti-inflamatorio e muito gelo, passado dois dias a PCR estava em 7,85 mg/dl.
Embora seja apenas um auxiliar de diagnostico, sendo os sintomas do paciente sempre prioritarios, são sempre valores que ajudam a um correto tratamento.
Parabéns pelo seu blog e um grande obrigado de Portugal

Roberto Almeida disse...

Excelentes seus esclarecimentos que me tranquilizaram quanto à ter apresentado resultado pouco acima de 2 mg/L e deficiência de vitamina D. Não havendo sintomatologia infecciosa ou de dor associadaS e com todos demais parametros normais, consultarei um especialista. Pergunto apenas se idade acima de 60 acompanhada de lesão cervical (com paraplegia) a mais de 30 anos explicariam este aumento que só ocorreu no último exame. Agradecido, Roberto.

Sônia Tadeu disse...

Parabéns Doutor, por sua clareza e sinceridade. Sabemos que o mercado clínico é alto, mas são poucos os profissionais que tem a capacidade de se fazer aparecer e dizer claramente com todas as suas argumentações o que a maioria de nós, "pobres ignorantes" em sua área, não distinguimos.
Que Deus o recompense por sua atitude brava!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Roberto Almeida:
A elevação da proteína C reativa não tem relação com a idade ou com lesão cervical há mais de 30 anos.
O trauma cervical com lesão medular pode aumentar a proteína C reativa mas só na fase inicial, logo após o trauma.

Christina Moreira disse...

DR Luiz Claudio, boa tarde! Estou começando a fazer atividade física, caminhada e corrida, e o meu treinador pediu, que passa-se por um cardiologista, para fazer exames, os resultados foram bons, só o Proteína C reativa quantitativa - resultado: 18,7 mg/L - valor de referência: inferior a 8mg/L, fiquei um pouco preocupada, por não estar com nenhuma dor e não ter sentido nenhum mal estar nos últimos dias. Obrigada pela atenção. E parabéns pelo post, muito esclarecedor.
Abraços, Martha

MusicosinFrontera disse...

Tenho 54 anos, e tive enfarto em 2012e fiz cirurgia de revascularização do miocardio colocanado duas safenas e uma mamaria.Hoje peguei meu resultado de PROTEINA "C" REATIVA ULTRA SENSIVEL e o resultado foi de 0,14 mg/dl eepla tabela que vem ao lado eu nao soube dizer se estou em alto rico ou baixo risco.Poderia me ajudar?

Atte,

João Fernando Paluan

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Christina:
A elevação isolada da proteína C reativa, na ausência de sintomas, não tem importância clínica para o reumatologista, mas tem para a finalidade que levou o cardiologista a solicitar o exame,
Sugiro que procure esclarecimentos a respeito com o seu cardiologista.

Marum disse...

Dr. Luiz Cláudio,
Primeiro quero parabenliza-lo pelo seu blog.

Há um ano atrás fiz o exame de PCR e o resultado foi 0,09mg/dl (método:turbidimetria) e acabei fazer um agora em que resultafo deu 0,35 mg/dL
(método:Imunoturbidimetria ultrassensível).

Tenho 37 anos, sou fumante e acabei de fazer exames cardiológicos (ergométrico, eco e eletro) todos normais.

O que me preocupou neste resultado foi a referência descrita no exame:

Indicador de risco cardiovascular
Acima de 0,3 mg/dL: risco alto.

Não tenho nenhum sintoma, nenhuma infecção, nada.
Devo me preocupar com o risco cardiovascular? ou refazer este exame pra confirmar o valor?

Obrigado

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

João Fernando:
A sua dúvida deve ser esclarecida pelo cardiologista.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Marum:
Consulte um cardiologista.

13º Dired disse...

Gostei muito do seu artigo,confesso que fiquei muito triste em saber que se eu já soubesse dessas informações,talvez meu filho não tivesse morrido. Minha história é a seguinte: meu filho se queixou de dor no joelho numa terça-feira,levei ao hospital e uma doutora pediu raio x e logo ao examinar não encontrou nenhuma lesão,porém receitou uns antinflamatório e aplicou um injecção pra dor. Contudo, eu leiga,achei o procedimento normal.No dia seguinte, ele disse que estava bom,foi a escola prestar exame de história e não sei qual razão, saiu sedo e chamou os colegas de classe e foram a um clube AABB passaram o resto da manhã brincando na piscina.Agora começa meu drama ele já chegou reclamando novamente da dor no joelho e eu briguei muito com ele,pois achava que foi por ele ter tomado esse banho de piscina que causou a dor que só aumentava.Então,na quinta-feira fui pra outra cidade consultá-lo com um ortopedista, já levando raio x de tudo quanto é posição, pensando que ele ia pedir. Quando o médico analisou os raios x, não encontrou nenhuma alteração, então entendeu que poderia ser alguma pequena infecção causada por alguma comida ou substância.Solicitou exame de sangue.hemograma completo e outros: proteína c reativa, mucoproteínas em tirosina,uréia,creatinina,prova do latex (fat-reumatoide), titulo de antiestreptolisina.o médico também receitou um antibiótico e um remédio manipulado "DEFLAZACORT GOTAS 22,75 MG. tomar 30 gotas em dias alternados, e ERITAX suspensão 500mg 3x ao dia.Na sexta-feira fiz todos aqueles exames e meu filho nada de melhorar,continuava a se queixar de dor mais intensa, agora nas articulações das mãos.E eu já imaginava que era reumatismo, precisamente febre reumática.O antibiótico chegou e automaticamente dei a dosagem.Recebi os exames pra ir apresentar na segunda-feira,por curiosidade abri e vi o hemograma que na minha interpretação estava normal e apenas esse de proteína C estava muito acima do valor de referência. valor referencia 6 mg/d l e o resultado do exame do meu filho deu igual a 192 mg/l, mas até então não sabia realmente o que era esse exame e qual a causa dessa alteração, entendi que talvez fosse reumatismo ou coisa similar.O laboratório não me alertou em nada,não disse nada em relação da gravidade dessa alteração.Ai eu, fiquei com meu filho se queixando de dor e dizia que estava com um calor enorme e uma sede fora do normal,mas seu corpo estava bem geladinho, pois tinha um ventilador com velocidade no máximo.Nisso eu estava me recuperando de uma cirurgia de Vesícula, sozinha meu marido viajando e com um outro filho de 03 anos em casa. Nisso fiquei até 5h 30min e resolvi leva-lo ao hospital, levando os exames. Mostrei ao médico de plantão, ele nem olhou o exame,disse que ele estava tendo uma hipoglicemia, e colocou-o no soro e foi embora porque o plantão dele estava acabando.De repente vi meu filho ficar com as unhas roxa e o lado do coração ficar um pouco alto, me desesperei sai gritando por um médico e por sorte o platonista estava chegando, me mandou sair e arranjar uma ambulância pra remove-lo pra cidade vizinha onde tinha UTI,vim em casa peguei algumas coisas pessoais do meu filho e fui voltei ao hospital,pra meu desespero o hospital já estava cheio de familiares chorando dizendo que meu filho tava morrendo,o médico disse que ele tinha tido uma parada cardíaca,mas já estava estável e que eu fosse rápido, que a qualquer momento poderia ter outra.Chegando ao hospital estava uma pediatra que olhou pra mim e disse " é uma sépica",e eu perguntei se isso era grave e tive como resposta "você acredita em milagre,então se acontecer um seu filho sobrevive" pro meu desespero o milagre não aconteceu.Ele entrou na UTI e 13h 30min faleceu.Em três dias perdi meu filho de 11 anos. e hoje, lendo esse artigo é que entendi e me martirizo em saber que a minha falta de conhecimento ajudou na morte do meu filho.Desculpe-me o desabafo. Espero que possa sempre continuar escrevendo, pois com o seu conhecimento e esse simples ato de escrever poderá salvar muitas vidas.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

13 Dired:
Sinto muito pelo que você passou.
O seu depoimento é tão profundo e triste que não precisaria nem gostaria de fazer qualquer comentário, mas tenho a obrigação de esclarecer aos leitores sobre o que você escreveu como "sépica".
Considerando os eventos que você narrou, acredito que quis dizer "séptica"(febre séptica, crise séptica ou sepsis), maneiras diferentes pelas quais os médicos se referem à septicemia, uma situação clínica grave, de alta mortalidade, em que bactérias circulam livremente pelo organismo, reproduzindo-se na corrente sanguínea.
A septicemia é uma doença que eleva a proteína C reativa.

Unknown disse...

Gostaria de parabeniza-lo pelo blog, e agradecer por ele, que comigo já cumpriu um objetivo: me deixar claro que reumatismo não existe rs.
Primeira duvida, quase infantil, então, se reumatismo não é a palavra correta, como devemos chamar aquela rigidez dolorosa que temos nos musculos quando saímos do banho quente e pegamos vento frio, e os antigos dizem,"se pegar vento depois do banho vai ter reumatismoo"?
Aquela dor existe, varias vezes senti ela, o que é aquilo, qual a maneira correta de nomearmos aquela dor de musculos duros após o banho?

Tenho uma pasta de uns 10kg só de laudos de exames, e uma lista de diagnósticos: há quem diga que tenho esclerose multipla, e há quem diga que tenho vasculite, há quem diga que tenho lúpus;Tudo isso questionado por outros que dizem qeu não.Tenho doença celíaca, intolerancias alimentares como à lactose, mas os medicos parecem perdidos e soterrados no meio dos exames qeu eles mesmos solicitam, sendo que, fora a rm que para alguns medicos sugere dedos de dawson, o que é questionado por outros, a maior parte dos meus exames é absolutamente normal, e em nada sugerem as anestesias, parestesias, dormencias e inchaços nas pernas. Lentidão, fadiga dor embaixo dos pés que parece qeu a musculatura está sem consistencia para sustentar o esqueleto, parece que os ossos cravam direto na carne, principalmente quando saio da posição de descanso, os primeiros passos sao sofridos demais.

Tenho basicamente apenas esses exames alterados e queria ver se talvez o senhor, na distancia, intuísse algum caminho mais iluminado para ser trilhado enfim, pois os exames andam cansativos.

VSG: 96 (valor de referencia 5)
Proteína C Reativa: + ou - 4vzs o valor de referencia
IGE total 271
Complemento C3 levemente aumentado em relação ao normal
Aminoácidos na urina.
Creatinina quando não dá normal, dá abaixo o que é bom né?
Já tive um fator rematoide positivo, mas poucos dias depois estava normalizado.

Imensamente agradecida por sua atenção e despreendimento em manter esse canal de comunicação,
Uma boa noite.
Maria Regina

ham disse...

Caro Dr. Luiz Claudio,
Sofri, dia 9 de julho último,grave acidente, uma queda de cerca de 3.00m de altura. Fraturei o úmero, 6 costelas e achatamento da L-4 (50%)e da T-12 (15%). Fiz duas cirurgias, a primeira no ombro, onde fixaram prótese para substituir a cabeça do úmero,irrecuperável, e a segunda na coluna, cimentando a T-12. No exame de sangue realizado dias após o acidente, em 23-07-2012, o valor da PCR foi de 3.42 mg/dl.Esta semana (26-09-12)fiz novo exame de sangue, a pedido do cardiologista, e o valor do PCR foi de 18.04 mg/L. A coluna parece estar bem, sem dores. Quanto ao ombro, faço diariamente exercícios fortes de fisioterapia, para recuperar funcionalidade do ombro, e que me deixam com o mesmo bastante dolorido.Diante desse cenário de traumas, seriam significativos e preocupantes os valores de PCR indicados ?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Maria Regina:
Irei responder ao seu comentário através do artigo POR QUE SINTO DOR QUANDO PEGO AR FRIO APÓS UM BANHO QUENTE?
Em relação às dúvidas sobre o seu caso em particular, solicito que envie-me através de e-mail pois precisaria de muito espaço para respondê-la no mesmo artigo.

Gil Droid disse...

Dr. Luiz,

Fiz um exame de rotina e deu alto o meu PCR ultra sensível (0,97 mg/dL). Só que no mesmo dia no qual fiz a coleta começaram os sintomas de uma catapora que durou por 10 dias. Gostaria de saber se o processo desencadeado pela catapora interfere no resultado do PCR ultra sensível?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Ham:
Significativos sim, mas apenas o cardiologista que solicitou o exame e o ortopedista que cuida das suas cirurgias podem dizer se o valor atual é preocupante.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Gil:
Sim, infecções de qualquer origem podem aumentar a proteína C reativa e a catapora é uma infecção por vírus.

Jerusa disse...

Dr Luiz Claudio,
Há alguns dias eu acordei com dores nas articulações, primeiramente nos pulsos e dedos e posteriormente também nos joelhos e pés. A dor era intensa acompanhada de inchaço, fiquei com manchas pelo corpo vermelhada e semelhante às manifestadas na rubéola, hipótese logo descartada visto que já tive na infância. Tive infecção de amígdalas alguns dias antes, pensei na hipótese de febre reumática. Procurei a emergência em uma clínica aqui em Curitiba, o Dr me solicitou alguns exames laboratoriais, meu exame clínico estava normal a não ser pelas dores nas juntas que era intensa. A proteína C apareceu aumentada, 6,48 e o valor de referência é 1 mg\L baixo até 3mg\L para alto risco para previsão de doença cardiovascular.Más não retornei ao médico pelo fato de que 3 dias depois as dores haviam quase desaparecido. Agora estou preocupada com o seguinte, tenho 35 anos e minha filha do meio tem 10, e ela está apresentando os mesmos sintomas que eu tive neste episódio, e o médico dela diagnosticou rubéola, mas esta meio estranho porque as dores dela são intensas, ela esta andando com apoio pois não suporta a dor nos joelhos, tem dores em todos os dedos e principalmente nas articulações do tornozelo.Será que pode ser outra doença e não rubéola? E o que ela está tendo pode ter algo a ver com o que eu tive ha 15 dias atrás? Rubéola eu já tive, inclusive foi comprovado isso nos meus exames de pré natal. Já que não tem a ver com reumatismo que especialista eu poderia consultar? Me ajude por favor, ela está sofrendo muito e não sei a quem recorrer. Agradeço desde já sua atenção! E sinto muito por não podermos contar com mais profissionais iguais a você, que leva a sério e ama aquilo que faz! Abraço.

Rênia Pompeu disse...

Caro Dr. Luiz, muito bom ter lido seu artigo. Meu esposo está passando por uma série de problemas, principalmente estresse emocional. Acredito que parte do que ele sente (aperto no coração, azias, mal-estar e agora apareceram umas dores nos ombros, sem contar as dores de cabeça diárias)tudo é resultado maior desse estresse. Contudo no exame laboratorial, apesar de apresentar normalidades no hemograma geral, esse dado da proteína c reativa, deu alta sensibilidade, motivo do pedido, as dores nos ombros, passando para punhos. O trabalho dele é muito estressante, telefone celular 24h/dia, alta responsabilidade financeira, sem falar que ele foi atleta, há mais de 15 anos e se encontra parado por todo esse tempo. Achou de fazer exercícios por conta própria, erguendo pesos e as dores aumentaram. Então, quando vi o resultado do exame, achei bastante sugestivo, devido as dores, mas lendo seu artigo acredito que tem muito mais por trás de toda essa sintomatologia, inclusive ele colocou um stent, há um ano mais ou menos, e toma remédio para pressão. A história dele é bem longa, precisaaria de uma consulta realmente para saber, mas fico grata só em conhecer parte de seu trabalho, já nos ajudou bastante. Deixo um abraço e continuarei lendo seus artigos.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Jerusa:
Dor nas articulações deve sempre ser avaliada primeiramente por um reumatologista.
Se sua filha recebeu o diagnóstico de rubéola, é importante saber que a rubéola causa dores nas articulações e pode também causar artrite, contudo os sintomas nas articulações costumam ser leves e duram menos de 6 semanas.
Quando um pediatra diagnostica um caso de rubéola em que há dor nas articulações, tende a atribuir os sintomas nas articulações à rubéola mas, se o quadro clínico não for compatível, os sintomas nas articulações podem ser a pista para diagnosticar outras doenças da infância que causam manchas na pele com sintomas nas articulações, por isso um reumatologista pediátrico deve ser consultado.
Não entendi o que você quis dizer com "já que não tem a ver com reumatismo, que especialista eu poderia consultar..."
Se o sintoma é dor nas articulações, pode ter a ver com rubéola ou outras infecções virais e bacterianas, pode ter a ver com doenças inflamatórias, com doenças autoimunes e até mesmo com neoplasias, mas nunca tem a ver com "reumatismo" porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.
Se o sintoma a ser esclarecido é dor nas articulações, o especialista a ser consultado é o reumatologista.
Não se deve pensar que o reumatologista é o especialista em "reumatismo", alguém para ser consultado apenas quando alguma doença "tem a ver com reumatismo" - esse raciocínio é incorreto, viciado, baseado apenas na crença em "reumatismo" e na semelhança entre as palavras "reumatismo" e reumatologista. Quem pensa dessa maneira, se afasta do caminho correto para a avaliação das dores nas articulações (leia PARA NÃO CONSULTAR UM REUMATOLOGISTA ).
Reumatologista é o especialista no diagnóstico e no tratamento clínico das dores e das doenças das articulações, dos ossos, dos músculos e da coluna e deve ser consultado sempre que o sintoma seja dor em qualquer uma dessas partes do corpo.

Andréia oliveira disse...

oi doutor,desde o mês de julho venho apresentando um quadro de urticaria,fui umas 2 vezes ao pronto socorro pra tomar um anti alergico,isso no mês de agosto,o ultimo clinico que me atendeu disse que eu estavá com uma "urticaria das brabas"e deveria procurar um alergista ou um dermatologista,e me passou allegra pra tomar,fiquei tomando Allegar e como tenho 3 filhos pequenos,de 2,4 e 6 anos não tenho tempo de ir ao medico,mas mesmo tomando o allegra fico toda empelotada,faço tratamento para emagrecer com Sibutramina,mas na epoca em que começou os episodios ainda não me tratavá com está medicação nem fazia uso de nenhum outro medicamento,cheguei por 2 vezes a ficar com os labios tão inchados que parecia uma pata,comentei com meu endocrino que me recomendou um amigo dermatologista que me passou uns exames mandou que eu continuasse a tomar o allegra,os meus exames deram alteração de proteina c reativa-ultra sensível 0,70mg/dl e igE total de 491ku/L TIREOGLOBULINA,ANTICORPOS ANTI 1,84 UL/ML(NORmal)segundo referencia.fator anti-nuclear(fan)NÚCLEO:Reagente,Nucleolo:Negativo,Citoplasma:Negativo Aparelho Mitótico:Negativo Placa metafásica cromossomica:Negativo (normal)segundo referencia)VHS 8mm(normal)Tireoperoxidase,anticorpos anti-tpo:1,00 ui/mL(normal)tsh ultra sensivel0,55micro ui/ml(normal)com base nisso doutor será que está urticaria de tantos meses estaria associada a problema em algum orgão?,já que pelo que eu entendi não tenho doença auto imune...Obrigado por sua atenção.tenho 25 anos,e sou asmatica.

Telma Cristina disse...

Dr. Luiz meu é Telma Cristina, é o seguinte meu filho 9 anos teve no meio desse ano infecção na garganta e ficou internado três dias,fez o exame de prova reumática e o proteína C reativa 48,0 positivo e o Waler Rose negativa e Aslo negativo. Então o Dra fez uma tratamento de 10 aplicação de antibiótico, dizendo que era febre reumática. portanto 2 meses depois fui em outro medico e fiz novos exames e o dr diz q ele não teve febre reumática, pois deu tudo negativo. Então ele tomou 7 aplicação somente. Eu quero saber de acordo exame 1 acima se houve probabilidade dele ter tido febre reumática?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Andreia:
Alergistas e dermatologistas que atendem casos de urticária tendem a suspeitar de uma doença autoimune sistêmica concomitante quando se deparam com o FAN positivo e geralmente solicitam a avaliação do reumatologista por isso.
Para o reumatologista que atende um caso de urticária, a possibilidade de uma doença inflamatória sistêmica autoimune só será considerada se, juntamente com o FAN positivo, o doente apresentar outras manifestações além da urticária. Ou seja, se o único sintoma é urticária, o reumatologista tende a atribuir o FAN positivo à alergia em si.
Não vejo no seu caso motivos para pensar em outra doença mas, se o dermatologista solicitar a avaliação do reumatologista, há indicação para isso por que o FAN é positivo e porque algumas manifestações de doenças autoimune são sutis e podem passar despercebidas quando avaliadas por outros especialistas.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Telma:
Primeiramente, "exame de prova reumática" não existe.
Proteína C reativa, Waller Rose e ASLO não são "exames de prova reumática" nem "exames reumáticos" pois não existe um fenômeno biológico "reumático" ou de "atividade reumática" (leia PROVAS DE ATIVIDADE "REUMÁTICA"?). Por isso, não existem "exames reumáticos" ou "provas reumáticas", embora haja pessoas que se refiram dessa maneira a diversos exames cujos resultados significam várias coisas, nenhuma das quais é "reumática", "reumático" - ou "reumatismo", que é de onde de derivam todas essas expressões. "Reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular. "Reumático", "reumática" e qualquer expressão semelhante são mitos criados por médicos que escolheram defender o mito popular em vez de exaltar o conhecimento científico.
Cada exame tem uma finalidade e cada resultado uma interpretação - os exames que você citou não são suficientes para diagnosticar febre reumática; um deles, o Waler Rose, nem deveria ser solicitado, se a suspeita fosse febre reumática.
Infecção de garganta significa muitas coisas (amigdalite, faringite, por vírus, por bactérias, etc) mas não significa febre reumática. Embora a febre reumática seja uma doença autoimune desencadeada por uma infecção de garganta causada pela bactéria estreptococo, é uma doença diferente da infeccão de garganta, produz sintomas diferentes e ocorre DEPOIS da infecção de garganta. O diagnóstico de febre reumática baseia-se em sintomas e, se o seu filho teve apenas "infecção de garganta" e exames alterados, ele não teve febre reumática. Qualquer "infecção de garganta" pode aumentar a proteína C reativa e, em quem tem infecção de garganta", o aumento da proteína C reativa significa apenas... a própria infecção de garganta.
Sugiro que, da próxima vez em que seu filho tiver uma infecção de garganta, consulte um reumatologista pediátrico e fale da sua preocupação com a febre reumática. As informações que você tem sobre o que ocorreu com seu filho são contraditorias e não servem para esclarecer o que aconteceu naquele momento nem para fundamentar o tratamento futuro.

Gustavo Abrantes disse...

Prezado Dr. Luiz Claudio,

Acompanho seu blog e acho espetacular a forma e dedicação como o escreve e o cuidado e respeito com as pessoas.

Hoje recebi diagnóstico de minha mãe, com resultado de PCR de 92 mg/L. Ela tem 55 anos, tem um histórico de depressão leve, sedentária e dona de casa.

No passado reclamava de dores constantes nas articulações, um médico há cerca de dois anos a diagnosticou como portadora de fibromialgia (nesta época ainda não havia feito o exame).

Ela fez o dito exame de PCR e VHS agora, pois nas últimas duas semanas ela apresentou um quadro de "gripe fortíssima", tossindo muito, com muitas dores e cansaço mental e físico. Como isso perdura, há 10 dias encontra-se neste estado, fizemos o exame.

Estou muito preocupado pois saí do país a trabalho e retornarei somente daqui um mês. E ela está sozinha em casa. Tive que insistir muito para que ela fosse ao médico e fizesse o exame.

O que pode ser isso? Oriento ela a procurar que médico e a realizar quais exames?

Li muita coisa na internet e fiquei assustado, ainda bem que conhecia seu blog e havia um artigo nele sobre isso, fiquei mais aliviado quando o li.

Mas por favor, me oriente e diga honestamente o que lhe parece isso.

Muito obrigado.
Gustavo

Rosane Felippe disse...

Boa noite,eu não sabia o que era PCR e como o clinico não comentou esse resultado e vim pesquisar, me assustei com a diferença e fui lendo, quando vi sua gentileza em esclarecer resolvi te perguntar. Achei muito esclarecedor para nós leigos. Vou perguntar: tenho 54 anos e hoje tive um resultado de 19 de PCR, pode ser decorrente de crise de asma grave com muita tosse por obstrução dos bronquios ou bronquiolos não sei, acompanhado de dor de garganta com rouquidão? Fui ao P.A. e fui medicada, mas estou te perguntando pq tambem tenho muita taquicardia, talvez pq faço sempre nebulização com berotec na dose receitada pelo clinico. Risco de infarto - peq alterações. 19 é uma grande alteração, entendi certo?
Obrigada.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Gustavo:
Proteína C reativa de 92 mg/l indica que há uma reação inflamatória no organismo, mas não diz o que é nem onde está ocorrendo. Para saber isso é preciso observar os sintomas: se foi após uma "gripe fortíssima", como você disse, com muita tosse, provavelmente o problema está no pulmão. Um clínico geral pode investigar e tratar desse problema mas às vezes pode ser necessário consultar um pneumologista.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Rosane:
Você entendeu certo: 19 é uma grande elevacão e o risco de infarto é avaliado com pequenas elevações. Mas isso não significa que uma elevação grande signifique um risco maior de infarto porque grandes elevações são causadas por inflamações ou infecções e, nesses casos, não se deve usar a proteína C reativa para avaliar o risco de infarto.
Crises de asma não aumentam a proteína C reativa, a não ser que haja alguma complicação, como infecção das vias aéreas superiores (sinusite, faringite, amidalite, laringite), dos brônquios ou dos pulmões. Quando a infecção desaparece, a proteína C reativa volta ao normal mas, se houver risco cardiovascular associado, após o desaparecimento da infecção a proteína C reativa prrmanece um pouco elevada, aí sim indicando o risco cardiovascular.
Para avaliação de risco cardiovascular através da proteína C reativa, consulte um cardiologista.

Mauro Cibien disse...

Fiz um exame de PCR 07/03 e o resultado foi 98,5 (reagente) fiz outro exame hoje 09/03/13 a pedido do médico e o resultado foi 12. Isso é normal?
A medica disse que só DEUS sabe o que acontceu comigo. Será que devo refazer esse exame? Minha familia esta muito preocupada!!! Me ajude a copreender isso por favor!!!!!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Mauro:
A pergunta que você deveria fazer não é "isso é normal?"
Se você quer saber se é possível uma proteína C reativa de 98 dois dias depois estar em 12, é possível. Proteína C reativa varia rapidamente e pode apresentar grandes variações de um dia para outro. O valor em si não é preocupante, mas sim o que causou a elevação.Se a causa da elevação não foi descoberta, sugiro que procure ouvir outra opinião a respeito do caso.

Questiana disse...

Olá, Doutor. Tenho 30 anos e sofro de condromalácia patelar. Meus joelhos doem muito e apresentam derrame articular há mais de 1 ano. Meu médico pediu alguns exames, mas 2 me chamaram atenção por não estarem dentro dos valores de referência. Um deles é o VHS que deu resultado 27 e, o segundo, é o PCR Quantitativa, que deu resultado 1,13 mg/dl. Os outros exames (ácido úrico, FTA, VDR) deram normais. O que estes exames alterados podem estar traduzindo, doutor? Obg!

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Questiana:
Você está fazendo a pergunta errada.
Se você apresenta derrame articular nos dois joelhos, a pergunta certa seria "será que o diagnóstico é mesmo condromalácia patelar?"
Condromalácia patelar não causa derrame articular e só esse dado já aponta para outro diagnóstico. VHS e proteína C reativa aumentados também indicam isso.
Condromalácia patelar é um diagnóstico que costuma ser feito por outros especialistas, por isso suspeito de que você não está consultando um reumatologista.
Sugiro que leia PARA NÃO CONSULTAR UM REUMATOLOGISTA e depois consulte um.

Alessandra Michetti disse...

Fico feliz em saber que ainda há médicos como que acreditam no exame físico, estava perdendo a esperança... obrigada, suas palavras me acalmaram!

Alessandra Michetti disse...

Fico feliz em saber que ainda há médicos, como vc, que acreditam no exame físico, estava perdendo a esperança. Obrigada, suas palavras me acalmaram!

CRBSTech disse...

Caro Doutor Luiz

Fico agradecido pela fantastica descrição na qual merece nosso especial agradecimento, att Claudio

Fatima Barreto disse...

Parabéns Dr. Luiz!
Um explicação simples e bastante elucidativa.
Agradecemos sua disponibilidade em responder a todas estas questões. Saúde e paz para você.
Fatima Barreto

junior disse...

Boa noite doutor,meu nome é Edvaldo,tenho 43 anos e a aproximadamente 1 ano e meio atrás aconteceu-me algo que nunca havia acontecido. Ao chegar em minha residência à noite utilizar o notebook sentado ,ao levantar-me, reparei inchaço nos membros inferiores dos joelhos para baixo. Dormi e ao acordar,estava sem edemas. Na noite seguinte a mesma situação aconteceu.Na época fiz vários exames PCR,VHS,FAN,LÁTEX,PROTEÍNAS,ÁCIDO ÚRICO etc,o único que deu alteração foi o FAN com valor de 1/160,o Pcr, Vhs E Ácido Úrico tiveram referências respectivas de 0,07, 4 e 7. Não tinha limitações alguma. Malhava ,corria,realizava atividade física constantemente. Há uns 3 meses atrás comecei a sentir dores ao acordar, nos dedos das mãos,pés,cotovelos,ás vezes joelho direito,tornozelos,porém sem vermelhidão ou inchaço dos mesmos. Continuo com minhas atividades físicas,sem restrição por dor quando na consecução dos exercícios. Realizei novamente há um mês os exames e novamente nenhuma alteração a não ser o Fan com o mesmo valor já relatado de 1/160. O inchaço continua,principalmente se consumo cerveja,quero frisar que não possuo o hábito de consumir bebidas alcoólicas,porém se à noite estiver em alguma balada e beber,no final da balada estou com um edema significativos nos membros inferiores e superiores. Estou meio confuso,não possuo indicações clínicas de Artrite Reumatoide. Queria uma orientação sobre qual profissional da área médica poderei procurar para uma solução deste quadro. Muito obrigado

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Junior:

Primeiramente consulte um nefrologista.

Victor Timmaia disse...

Dr Luiz Claúdio,procurando algo sobre PCR,
lí seu artigo sobre PCR (PROTEÍNA C REATIVA-QUANTITATIVA,que eu achei de importante valia pela seriedade que foi dada ao assunto! Gostaria de uma opinião do Senhor,meu filho tem 20 anos ,hoje ele acordou com diarreia ,vomitos e dores pelo corpo e em volta dos olhos ,fomos ao clinico geral ele pediu varios exames, que quase todos derao normais,porem o PCR deu alterado 14,5mg/L pelo metodo de IMUNOTURBIMETRIA,esse resultado pode levar ao diagnostico de DENGUE?

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Victor:
Não.
O diagnóstico de dengue é feito pelo quadro clínico e confirmado pela sorologia positiva.
Como em toda infecção, proteína C reativa pode aumentar na dengue, mas o diagnóstico de dengue não se baseia na elevação da proteína C reativa.

Dr. Luiz Claudio da Silva disse...

Thays:
Consulte um infectologista.
Seu problema não é a proteína C reativa 0,114mg/dl; o problema são as pneumonias e crises de herpes e a proteína C reativa não explica a origem disso.
O que você não pode aceitar é que digam "é reumatismo" porque a proteína C reativa está um pouco aumentada. Não é. Proteína C reativa aumentada não significa "reumatismo" porque "reumatismo" não é uma doença, é apenas um mito popular.